Todo o trabalho partilhado neste blogue pode ser visionado, consultado e utilizado, mas, por favor, não apague os créditos de um trabalho que é meu. E não plagie. O plágio é uma prática muito feia. Se entender contactar-me o meu e-mail é anabelapmatias@gmail.com
Agradeço aos autores dos vídeos a sua partilha, generosa, no Youtube. Sem esta partilha, as minhas postagens ficariam mais pobres.

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

1ª Aula - A Crise do Século XIV

1ª Aula - A Crise do Século XIV

Sumário: A crise do século XIV - causas e consequências. A crise do século XIV em Portugal.

Metas Curriculares

. Domínio/Tema D

As crises do século XIV

. Subdomínio/Subtema

1. Conhecer e compreender as causas da crise do século XIV na Europa

. Descritores de Desempenho/Objetivos

1.1 - Identificar a Guerra dos Cem Anos como o principal conflito europeu do século XIV.
1.2 - Apontar o aumento demográfico, a escassez de áreas cultiváveis, as mudanças climáticas e a destruição causada pelas guerras como causas( interligadas) das fomes que grassaram no século XIV.
1.3 - Relacionar a expansão das doenças epidémicas com a fome, a falta de condições de higiene e
com o clima de guerra.
1.4 - Sublinhar a importância da peste negra neste contexto e o seu processo de difusão.
1.5 - Explicar as consequências demográficas e económicas da conjuntura de fome, peste e guerra.
1.6 - Relacionar a diminuição da mão de obra e o abandono dos campos com a quebra de produção e com a subida dos salários.
1.7 - Indicar as medidas tomadas pelos senhores e pelo poder régio para fazer face à diminuição das receitas.

. Subdomínio/Subtema

3. Conhecer e compreender os "levantamentos populares" rurais, os conflitos sociais urbanos e os "movimentos milenaristas".

. Descritores de Desempenho/Objetivos

3.1 - Relacionar as medidas régias e senhoriais para fazer face à crise com o surgimento de revoltas populares rurais na Europa Ocidental.
3.2 - Caracterizar os movimentos populares rurais e os conflitos sociais urbanos.
3.3 - Contextualizar o aparecimento de movimentos milenaristas (ideia de fim de mundo; moralização dos comportamentos).

Queridos alunos,

antes de me alongar no que vos interessa, quero avisar-vos que no blogue só postarei as aulas em que exploraremos a matéria, o que será feito nas aulas semanais de 90 minutos. Assim sendo, apenas numerarei estas aulas, mais teóricas, sem atender à numeração das aulas completamente práticas, as de 45 minutos, em que faremos exercícios escritos e respetivas correções. Ok?

E passamos à aula um do oitavo ano de escolaridade.
Lembram-se de termos falado de tempos de crescimento e de prosperidade, a partir do século XI, um pouco por toda a Europa? Pois esses tempos estenderam-se até ao início do século XIV, século em que se iniciou um tempo de muitos horrores e de muitas crises - crise climática, crise agrícola, crise demográfica, crise económica e crise social.
século XIV ficou marcado por anos de instabilidade climática que se traduziram em chuvas excessivas, inundações, descidas de temperatura, secas. Esta crise climática provocou uma crise económica pois os péssimos anos agrícolas daí decorrentes traduziram-se em quebras abruptas na produção de cereais, base alimentar da população da época. Os preços dos géneros alimentares dispararam. As exportações desceram, as moedas desvalorizaram. As condições de vida pioraram enormemente, a fome instalou-se e as populações, mal alimentadas e sem hábitos de higiene, tornaram-se mais frágeis e pasto ideal para as doenças se instalarem e propagarem. O século XIV foi farto em epidemias sendo a mais conhecida a célebre peste negra que, vinda do Oriente, matou cerca de 1/3 da população europeia e deixou povoações completamente despovoadas e campos abandonados por inexistência de mão de obra. Temos, assim, uma grave crise demográfica, com diminuição da taxa de natalidade e aumento da taxa de mortalidade, esta última agravada ainda pelas múltiplas guerras travadas no século XIV, um pouco por toda a Europa. A mais conhecida foi a guerra dos cem anos, que opôs a Inglaterra à França, mas podíamos dar outros exemplos e para recorrer a um exemplo português temos as guerras fernandinas, travadas entre Portugal e Castela, entre 1369 e 1382, que contribuíram para o empobrecimento e o sofrimento das populações já tão massacradas pelas dificuldades que, à época, no reino imperavam.
A esmagadora maioria da população, o povo, vivia em condições miseráveis, esmagado pelos impostos cobrados pelos seus senhores. Quando estes viram os seus rendimentos diminuírem, em consequência do aumento da taxa de mortalidade entre a população, tentaram recuperar os rendimentos perdidos aumentando os impostos aos sobreviventes que se encontravam já no limite das suas forças. Os assalariados, aproveitando-se da falta de mão de obra, aumentaram o custo do trabalho. Um pouco por toda a Europa estalaram revoltas populares, rurais e urbanas, durante as quais o povo, desesperado, assaltou, pilhou e incendiou castelos e residências senhoriais. Os senhores retaliaram e a Europa conheceu uma grave crise social.
O século XIV foi, por toda a Europa, um século de dificuldades e de crises e Portugal não foi exceção neste panorama geral.
A crise abrangeu os reinados de D. Afonso IV, D. Pedro e D. Fernando e, apesar das várias tentativas de solução, a verdade é que as medidas adotadas, das quais as mais célebres estão contidas na Lei das Sesmarias, de 1376, não tiveram grande êxito.
A Lei das Sesmarias obrigava todos quantos tivessem terras a cultivá-las, proibia a mendicidade e obrigava os antigos agricultores a voltarem à profissão, assim como seus filhos e netos e fixava os salários. Tentava-se, desta forma, aumentar a área cultivada, aumentar a mão de obra disponível, evitar abusos nos salários. O problema... foi aplicar a lei...

Como sempre podeis consultar a minha apresentação em PowerPoint, já alterada e publicada no sítio do costume, intitulada A - A Crise do Século XIV.

E podeis visionar o vídeo que seleccionei para vocês, sobre a peste negra, em espanhol, com a qualidade do Canal História.


20 comentários:

  1. MT BEM EXPLICADO, obrigada pela ajuda na matéria!!

    ResponderEliminar
  2. Fico contente por te ser útil. Votos de excelente trabalho, Anónimo!

    ResponderEliminar
  3. Perfeitamente bem desenvolvido seu texto! Parabéns, ajudou muito!

    ResponderEliminar
  4. Deixas-me contente! Votos de excelente trabalho!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querido! Amei a aula! Pode me indicar algumas fontes sobre o assunto? Autores e livros... Desde já grata!

      marcella-viana@hotmail.com

      Eliminar
    2. Querida! Amei a aula! Você pode me indicar alguns autores e textos sobre o tema? Obrigada!

      marcella-viana@hotmail.com

      Eliminar
  5. Estava completamente perdida na matéria! Excelente texto ! Muito obrigada !

    ResponderEliminar
  6. Olá! :-)
    Neste blog vou dar a minha opinião sincera! Peço desde já desculpa se isso ofender alguém!
    Acho que podia estar muito melhor! Em vez de explicar o que se fez nas aulas podia ter apresentado os temas de outra maneira! Por exemplo, os manuais não dizem " Na aula número 1 têm de fazer isto, na aula número dois têm de fazer aquilo".
    Se quisesse seguir os exemplos dos manuais escolares, deveria explicar a matéria de outra maneira. Eu não consigo estudar a matéria desta forma. Mas é só a minha opinião!

    Espero que não leve a mal. As minhas sinceras desculpas por este comentário tão crítico.
    Adeus!
    Anónimo

    ResponderEliminar
  7. Olá!
    Acho que este blog está completamente fantástico! Adorei! Amei! Parabés aos " autores". Fantástico trabalho! Percebi completamente a matéria!

    xD :)

    ResponderEliminar
  8. Acho que devia ter mais imagens e ter mais subtítulos, tornar o texto mais apelativo, pois assim está muito massudo e uma pessoa perde-se a ler isto.
    O conteúdo só está bom mas o resto podia estar melhor.
    Não leve isto a mal, é só uma crítica construtiva para que para a próxima possa melhorar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. se achas estes textos massudos e não apelativos aconselho-te a ler livros infantis ;)

      Eliminar
  9. Tanta mensagem contraditória! Ainda bem!
    Cada cabeça, sua sentença e não se pode agradar a gregos e a troianos...
    Beijinhos a todos e votos de excelente trabalho!

    ResponderEliminar
  10. vou ter boa nota n meu teste por causa deste texto! obrigada!!

    ResponderEliminar
  11. Obrigada, Anónimos! Fiquem bem e votos de excelente fim de ano!

    ResponderEliminar
  12. Com muito atraso vou responder a este comentário:
    Olá! :-)
    Neste blog vou dar a minha opinião sincera! Peço desde já desculpa se isso ofender alguém!
    Acho que podia estar muito melhor! Em vez de explicar o que se fez nas aulas podia ter apresentado os temas de outra maneira! Por exemplo, os manuais não dizem " Na aula número 1 têm de fazer isto, na aula número dois têm de fazer aquilo".
    Se quisesse seguir os exemplos dos manuais escolares, deveria explicar a matéria de outra maneira. Eu não consigo estudar a matéria desta forma. Mas é só a minha opinião!

    Espero que não leve a mal. As minhas sinceras desculpas por este comentário tão crítico.
    Adeus!
    Anónimo

    Centrando-me nesta passagem: "Se quisesse seguir os exemplos dos manuais escolares, deveria explicar a matéria de outra maneira."
    Se eu quisesse seguir os exemplos dos manuais tradicionais teria feito um, não lhe parece? ;)

    ResponderEliminar
  13. Grata, anónimo de dia 24 de Outubro de 2015! Espero ser-te útil.

    ResponderEliminar
  14. OLA BRIGADO O SEU TEXTO ESTA REALMENTE BEM EXPLICADO, O SEU TRABALHO ESTA EXCELENTE...
    ME DESCULPE PERGUNTAR MAS A SENHORA SÓ FEZ ESTE TRABALHO DO SEC XIV A FALAR DA CRISE DA EUROPA ? É PORQUE EU PRECISAVA DO MESMO TRABALHO DO SEC SÓ QUE DE PORTUGAL...
    MUITO OBRIGADO E DESCULPE INCOMONDO

    ResponderEliminar
  15. Veja se é desta aula que precisa! Tenho gosto se o puder ajudar! https://historia7anabelamagalhaes.blogspot.pt/2012/10/2-aula-crise-de-1383-85.html

    ResponderEliminar