Todo o trabalho partilhado neste blogue pode ser visionado, consultado e utilizado, mas, por favor, não apague os créditos de um trabalho que é meu. E não plagie. O plágio é uma prática muito feia. Se entender contactar-me o meu e-mail é anabelapmatias@gmail.com
Agradeço aos autores dos vídeos a sua partilha, generosa, no Youtube. Sem esta partilha, as minhas postagens ficariam mais pobres.

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

4ª Aula - A Conquista de Ceuta

4ª Aula - A Conquista de Ceuta

Sumário: Razões da conquista de Ceuta e o fracasso económico dessa conquista.
O papel do infante D. Henrique na expansão portuguesa.

Na última aula falámos das razões, várias, que determinaram a escolha de Ceuta como primeira praça a conquistar, pelos portugueses, em todo o continente africano.
A cidade de Ceuta, importante porto de pesca à época, ficava, e fica, num local estratégico do ponto de vista geográfico - situada no norte de África, numa posição costeira privilegiada sobre o estreito de Gibraltar donde se podia controlar toda a navegação que circulava entre o Mediterrâneo e o Atlântico, daí partia a pirataria moura que assolava a costa algarvia e nos acarretava pesadas perdas e prejuízos diversos em homens e bens, na atividade piscatória e no comércio. Para além das razões já expostas, Ceuta era ponto de chegada das rotas caravaneiras oriundas do centro de África, que traziam ouro, especiarias e escravos. Acresce ainda que a região à volta de Ceuta era muito fértil e produzia cereais em abundância, especialmente trigo, de que o reino de Portugal era carente. Se as razões anteriormente apontadas são de carácter económico ainda podemos apontar uma outra de caráter religioso - os muçulmanos eram inimigos da fé cristã e era conveniente enfraquecer o seu poder.
No dia 25 de Julho de 1415 partiu de Lisboa uma poderosa armada composta por duzentas embarcações, comandada pelo próprio rei D. João I. A bordo vão ainda três dos seus filhos, os infantes D. Duarte, D. Pedro e D. Henrique.
A expedição foi um êxito militar já que, no dia 21 de Agosto, a cidade de Ceuta foi conquistada e, logo no dia seguinte, o rei D. João I armou cavaleiros os seus três filhos, numa cerimónia realizada numa antiga mesquita transformada em igreja. Mas a conquista revelar-se-ia um fracasso do ponto de vista económico pois a cidade, cristã, ficou isolada num contexto muçulmano, os muçulmanos desviaram as rotas comerciais e Ceuta deixou de receber os produtos tão cobiçados pelos portugueses, principalmente o ouro, necessário para a cunhagem de moeda; as terras à volta de Ceuta foram abandonadas devido aos ataques de um e de outro lado e deixaram de produzir o tão necessário trigo... na verdade a situação era tão grave que os habitantes de Ceuta eram abastecidos de alimentos a partir de Lisboa.
Quanto ao infante D. Henrique, nascido na cidade do Porto em 4 de Março de 1394, direi apenas que liderou a expansão portuguesa desde 1416 até à sua morte, em 1460. O restante da sua biografia... espero eu descobrir com os vossos trabalhos de pesquisa sobre este personagem de primeira água que se destacou na nossa história coletiva.

A apresentação em PowerPoint explorada na sala de aula tem o nome de D - A Conquista de Ceuta, pf não deixem de a consultar.

E agora deixo-vos com alguns vídeos interessantes sobre este fascinante período da nossa história:

Aqui vos deixo o Infante D. Henrique e a Expansão portuguesa.



E aqui uma aulinha antiga, mas ainda atual, em que podereis rever alguns dos assuntos que abordámos e explorámos em contexto de sala de aula e outros que ainda abordaremos...


Sem comentários:

Publicar um comentário